Capa Neoliberais não merecem lágrimas: a história da enchente de 2024

Clube dos Autores, 2024

Como as políticas neoliberais ampliaram a enchente de 2024 no Rio Grande do Sul

Reunindo ensaios publicados nas plataformas SUL21, SLER, RED, Brasildefators e A terra é redonda, o próximo livro de Jorge Barcellos cobre exatos 40 dias do início da tragédia climática que afetou a vida de todos os gaúchos. Contrariando o discurso dominante de que “não é hora de apontar culpados”, o autor busca entender como a omissão e fraqueza das autoridades permitiu que a maior tragédia climática ocorresse no estado. Associando omissões, erros, opções de governo, revela como o projeto neoliberal de estado e do município é o grande culpado da tragédia. Criticando as teses do estado mínimo, Barcellos defende que, por um lado, o caos climático estabeleceu no Rio Grande do Sul o “estado a guerra por outros meios” e por outro, as chuvas não produziram apenas um caos econômico-político, mas da própria subjetividade de uma população duramente atingida por um trauma. Longe de uma visão simplista da tragédia, pretende neste ensaio, o primeiro de análise social publicado sobre a tragédia gaúcha, evidenciar os aspectos socioculturais deste fato social. É uma crítica forte aos efeitos do estado mínimo, cavalo de batalha de políticos neoliberais.  

Rolar para cima