A face monstruosa do Capital

0
16

Em sua obra “O aberto”(Civilização Brasileira, 2017), o filósofo Giorgio Agamben procura definir a posição estratégica do ser vivo, a relação entre registros entre o homem e o animal e as consequências da polarização daí decorrentes. O autor inicia com a descrição de uma iluminura com cenas de caráter mísstico e messianico do século XII depositada na Biblioteca Ambrosiana de Milão. A cena que contém o códice de toda a história da humanidade é dividida em duas metades na qual a superior estão os três animais presentes na origem do mundo segundo a tradição hebraica: o pássaro Ziz, o boi Behemoth e o grande peixe Leviatã. Diz Agambem:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui